Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ARESTAS

ARESTAS

Todas mulheres, todas!

A 11 de Março, uma jovem tunisina mostrava que o seu corpo só lhe pertencia...


Fonte: http://stream.aljazeera.com/story/201303252145-0022635

 

A 5 de Abril, respondendo ao que Femen brandiu como uma das suas palavras de ordem « melhor nua do que a burka», outras mulheres respondem...

 

Fonte: http://stream.aljazeera.com/story/201304050033-0022659

 

Um vídeo ilustrando a conversa entre as diferentes percepções...

 

Fonte: http://stream.aljazeera.com/story/future-feminism-0022381


Enfim as percepções acabam por ser, genericamente, apenas duas que se opõem.

A primeira, amplamente valorizada pela Aljazeera devido à sua abordagem conciliadora, acaba por ser predominante, pelas posturas transmitidas via stream, e crítica, mas inclusiva no sentido em que não descarta as acções locais como um instrumento de luta da Femen em particular (de facto cada grupo faz o seu caminho!), mas revelando um rosto condescendente e uma postura sensivelmente prepotente quando refere os movimentos feministas nos EU, sua história e seus «erros» (aqueles que deveriam ter servido de exemplo para quem está informada) e outra defendida pela «leader» da Femen que parece (digo «parece», porque Inna Schevchenko não se exprime perfeitamente em inglês, o que poderá ser algo que limite aquilo que ela quer mesmo dizer e nos pode levar a falsas conclusões) procurar na acção directa um instrumento para concretizar os direitos (gerais...muito gerais, porque em nenhuma altura Inna fala de forma concreta, explicita e pragmática da luta delas na Ucrânia) das mulheres.

Voltando às palavras de Inna Schevchenko, se o «sextremismo» de Femen se quer constituir como uma arma, ou melhor utilizar o corpo da mulher explorado pelo patriarcado&Cia como uma arma, sendo um grupo que se criou num contexto ucraniano e querendo realçar as especificidades da opressão neste contexto regional, acaba por revelar alguma fragilidade ao querer se impor mundialmente como se bastava ser mulher do mundo para tirar a camisola, a camisa, etc., bastava ser mulher para querermos todas a «mesma coisa»? Não estou a ironizar, é uma verdadeira pergunta. O que é que nos une? A racha apenas ou algo mais para além da racha?

Houve vários aspectos que suscitaram a minha perplexidade no discurso de Inna S. Primeiro pelas contradições inerentes ao facto de Femen lutar num contexto específico, i.e. Ucrânia, e principalmente com jovens mulheres, mas confundir os espaços sociais e culturais perpetuando o erro do «desejo de supremacia» característico do mundo ocidental. Segundo, como considero o feminismo como um movimento de luta e conscientização com fortes ligações ao anarquismo e a práticas concretas tais como a acção directa (o que poderá ser o «sextremismo»), fiquei confusa com a excessiva expressão de uma liderança quando ela clama «Eu tenho um exército»...rectificado depois por «nós temos um exército»...

(para continuar...)

Links

ALTER

AMICI

ARGIA

BIBLIOTECAS

EDUCAÇÂO

ITEM SPECTO

VÁRIOS

Sapatos, Figas e Pedras

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2004
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D